Moda Super Feminina!!

A mulher brasileira mudou. Elegemos a primeira presidente mulher, fato histórico e inconcebível há 20 anos. Mas antes disso, a mudança já era grande e vista dentro de casa. Hoje as mulheres são empresárias, dentistas, médicas, mecânicas, motoristas de caminhão e ainda mães e donas de casa. A mulher se preocupa mais com sua independência financeira e ascensão profissional e suas expectativas mudaram. Essa transformação feminina mudou os hábitos familiares dos brasileiros, mas também mudou o físico da brasileira. Já antes conhecida por suas curvas, o corpo dessa mulher moderna é maior. Falta tempo para dietas e academias e a alimentação já não é mais tão saudável. Sem tempo para cozinhar, as mulheres fazem suas refeições em restaurantes, onde a variedade e a tentação são bem maiores. Claro que esse não é um fenômeno exclusivamente feminino, mas a visibilidade desse acontecimento é mais perceptível na mulher.


Esse acontecimento deu início a um movimento ainda tímido no mundo da moda, a moda plus size (tamanho grande). Claro que já existiam roupas feitas para as mulheres de tamanhos maiores, mas essa não era uma preocupação de estilistas e do fashion business. As empresas adaptavam a modelagem a tamanhos maiores, mas caiam no clichê conhecido das gordinhas que sofrem para comprar roupas: vestidos largos de malha, cores escuras, saias até o joelho, batas larguinhas. Essa modelagem “senhora” é o que mais se encontra nas lojas especializadas e é o que mais frustra as meninas que estão acima do peso, mas nem por isso perderam a auto-estima e a vontade de estar na moda.

A agitação na moda plus se deve justamente a essas meninas, que resolveram se mostrar e assumir suas curvas. Chega de vergonha, de se esconder atrás de roupas largas demais que não lhes favorecem em nada. Elas se mostram ao mundo em sites, blogs sobre moda, comportamento, sexo e mostram que não são só inteligentes e engraçadas como eram taxadas, mas também sexy, lindas e bem resolvidas.

Evelyn Zanette, estilista da marca Santa Saia, criou para sua coleção peças que vistam bem do P ao GG, mas sabe que esse é um desafio que poucas empresas e estilistas apostam. Ela acredita que as marcas irão se adaptar às novas exigências do mercado aos poucos. “Infelizmente, nossa sociedade via com preconceito o mercado para tamanhos grandes. As marcas famosas não se interessavam e nem precisavam disso, não iriam perder seu espaço por não atender esse mercado. Mas essa realidade já mudou. Hoje muitas marcas vêem o mercado plus como um investimento certeiro, pois a procura por roupas diferentes dos clichês de mercado é grande e a oferta ainda é pequena.”

Nadando nessa corrente e para não perder esse espaço de mercado, algumas revistas já mostram que estão antenadas. A revista V Magazine lançou no começo desse ano um editorial super sensual com modelos plus size. As fotos repercutiram em todo o mundo da moda, está em quase todos os blogs e sites fashionistas e chamou a atenção de outros meios de comunicação e marcas para o assunto. Em Nova York, o Full Figured Fashion Week é a semana de moda plus size, com modelos GG lindas e roupas que antes seriam inconcebíveis para mulheres acima do peso. Peças de cor clara ou até brancas dos pés a cabeça, vestidos tomara-que-caia, saias curtas e braços de fora. Vale tudo quando a modelagem é bem pensada e feita para valorizar o corpo da mulher.

Ser gordinha assumida, feliz e bem resolvida, finalmente, está na moda.



Desfile Elena Mirò, Milão


Gabi, do Blog, "Young, Fat and Fabulous!"


Plus size models, para a V Magazine

V Magazine